A ciência do orgasmo - Mulheres - Desire

terça-feira, 28 de junho de 2016

A ciência do orgasmo - Mulheres

O que realmente acontece durante o orgasmo é diferente para homens e mulheres. No entanto, se as suas reacções e intensidades individuais podem variar, a ciência do processo é a mesma para todos os homens e para todas as mulheres.

No caso das mulheres, quando o clitóris de uma mulher é estimulado e ela fica excitada - a fase da excitação - o sangue acorre à zona pélvica e vagina fica humedecida. A vagina expande-se, o clitóris e os seios incham e os mamilos ficam eretos.

Na fase seguinte, os lábios vaginais ficam ainda mais intumescidos, o sangue que aflui certas partes das paredes vaginais e a abertura da vagina fica mais estreita. As pulsações da mulher aumentam, os seus músculos ficam tensos e a pele do seu corpo pode enrubescer. Neste ponto o clitóris pode chegar a desaparecer, se o parceiro da mulher se encontrar a meio das estimulação, isto pode ser um tanto desconcertante. Mesmo antes do orgasmo, os pequenos lábios mudam de cor.

Durante o orgasmo, a terceira fase, a tensão muscular e o aumento dos vasos sanguíneos atinge o seu máximo. Quando o orgasmo acontece, sensações de calor e de delicia emanam o corpo. As paredes vaginais contraem-se ritmicamente durante alguns segundos e a tensão é libertada. O número e a intensidade das contrações varia.

A estimulação do ponto G pode induzir a ejaculação feminina de um liquido semelhante ao fluído masculino da próstata. Os músculos do útero também se contraem, puxando o esperma para ajudar os espermatozóides a encontrarem o seu caminho até ao lugar certo.

Na quarta fase, a resolução, os genitais voltam ao normal. Esta fase pode durar até meia hora.

1 comentário:

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Bela aula.... texto tranquilo, bem escrito e muito informativo!!!